28 janeiro 2013

Happy b-day !


O ano de 1997 foi marcante para mim, principalmente o dia 28 de Janeiro. Tinha 8 anos e estava completamente histérica pois esperava ansiosamente pelo nascimento do meu irmão! Lembro-me como se fosse hoje as idas ao hospital para visitá-lo e ver a minha mãe. Finalmente o meu tão desejado irmão tinha vindo ao Mundo. Apesar de sempre desejar ter um irmão mais velho, tornou-se um desafio, não muito fácil, ser a irmã mais velha. É de facto um papel de grande responsabilidade mas que assumi com todo o orgulho. Hoje ele completa 16 anos, e apesar de todas as turras e desavenças no fundo não vivemos um sem o outro e ele é sem dúvida das pessoas que mais amo na minha vida. Parabéns meu irmão, meu grande orgulho!

25 janeiro 2013

Saudades, ♥

Sinto saudades daquelas tardes em que o sol e a praia chamavam por nós e simplesmente largávamos tudo, metíamos-nos no carro, com uma boa música e íamos ao encontro daquele local perfeito onde esquecíamos tudo e éramos felizes. Sinto tanto a vossa falta, minhas amigas ! 

22 janeiro 2013

Mãe Natureza.


A Mãe Natureza está chateada e com razão. Ela dá-nos preciosidades e nós teimamos em destruí-las. Temo que seja cada vez pior.. A Mãe Natureza é invencível e quando está extremamente chateada leva tudo com ela, sem dó e piedade. É visível a sua beleza mas também a monstruosidade da sua força. Admiro-a e tenho por ela imenso respeito. Todos nós devíamos valorizá-la mais e fazer tudo o que estivesse ao nosso alcance para a poupar, por mais que pareça pouco - como fazer a reciclagem - na realidade todos juntos fazemos muito. Tenho a certeza que todos vocês apreciam ou usufruem de várias preciosidades da Mãe Natureza por isso ajudem a protegê-la.

13 janeiro 2013

Coisas inevitáveis.


Há pessoas que não acreditam no destino, eu de certa forma acredito. Acredito que podemos mudar algumas coisas do destino mas que não podemos fugir a outras, como a problemas de saúde. Mas pior que ter uma doença, é ter uma doença pela qual não temos forma de lutar. Uma doença que nos tira o que mais importante temos em nós, que nos rouba a nossa própria essência, as nossas memórias e nos faz esquecer as pessoas que mais amamos. Uma doença que é um verdadeiro inferno tanto para a pessoa que a carrega como para todas as pessoas que a amam. Essa monstruosa doença chama-se alzheimer e uma das mulheres da minha vida carrega com ela essa doença sem ter noção sequer de a ter. Essa mulher é a minha avó, uma segunda mãe que amo intensamente. Um dia sei que não se irá lembrar de mim, mas na realidade eu estarei sempre dentro do seu coração, assim como ela estará sempre no meu.